quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Algo que não é da minha autoria, mas que gostei!

Dá que pensar :D

"Uma nêspera
estava na cama
deitada
muito calada
a ver
o que acontecia.
Chegou a Velha
e disse
olha uma nêspera
e zás comeu-a.
É o que acontece
às nêsperas
que ficam deitadas
caladas
a esperar
o que acontece"
Mário-Henrique Leiria


Portanto, é melhor não ficar parado à espera de ver as coisas a acontecer!

quarta-feira, 13 de julho de 2011

"I Hate Moody's!"

Mas afinal de onde é que vem os restaurantes de ("Fast") Junk Food?

A "Junk Food" vem do mesmo país de onde está instalada a agência de rating que nos considera "Junk". Centenas de notícias referiram Portugal com um rating do tipo lixo (Junk) e não pararam por aí... Duas semanas depois, tentaram atingir também a Irlanda!

Quem será o próximo? Como reagirá a Europa a isto? Estão todos cegos? Estes senhores, querem é de um modo geral (e explicito), acabar com o Euro. (Ou acham que os europeus são parvos? Alguns até podem parecer, mas não somos (todos!) )

A guerra (das almofadas) económica já começou!

Eu não entendo muito de economia, mas percebo que para uns ganharem, outros têm de perder. Só que há várias formas o fazer: Umas justas e outras nem tanto. E quando uma equipa está em desvantagem (neste caso a Europa, que não tem "Agências de Rating") é mais fácil e suscetível de ser derrotada.

Não vou opinar sobre a nossa permanência no euro, pois não está aqui em causa, mas com o rating de "junk", e vindo de onde ela vem, parece que nos querem tratar como a "Junk food" deles (aquela que eles estão habituados, que conquistou o mundo e apesar dos estudos e que ainda domina o "mundo" - Esta agência que tem muita influencia no mercado, mas será que domina o "mundo"?!).

Tal como acontece com a verdadeira industria da Junk food, como todos sabemos, para além de rápida e cheia de gordura (trans.) "industrializada", tem um efeito de engordar e estragar a vida de quem a consome [aos poucos?! Ou logo que é consumida!] e gerar milhões a quem a gere e produz. A Moody's: é a nova cadeia de fast food e está a tentar implementar-se na Europa.

Portanto, para fazer concorrência ao slogan de uma das suas rivais: "I'm lovin' it!" para esta agência de rating criei um slogan que se ouvirá por todo o país: "I hate Moody's".




Fonte da Imagem:http://www.hoalian.com/wp-content/uploads/2011/04/junk-food-005.jpg

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Pack de PECs

Só espero que aqueles senhores que declaram ordenado mínimo e que ganham mais do que eu, comecem a pensar duas vezes ou então esses "milionários" ou "novos ricos" vão-se ver literalmente "f*****" (lixados para quem não entendeu a dica).

Já que não tenho possibilidade de não ser atingido pelo desgoverno de "alguém", apresento as minhas medidas através de uma checklist. [Versão preliminar].

As minhas medidas de austeridade para a situação do país:

‎- Pagar o mais possível com cartão de multibanco (Já o faço - Com pagamento assim é mais complicada a fuga ao fisco).
- Pedir faturas - "Oh faz favor! Vou querer fatura, não sei se é só para pedir no fim, se já... mas quero-a!" "Ai não passam faturas?! Então «Com licença» (se bem que esta parte nem deveria constar na conversa) ficam aqui as compras que felizmente há mais lojas com o mesmo tipo de serviço que o da senhora!"
- Passar ainda mais tempo nas lojas, quando lá vou - Já o fazia mas agora não há hipótese, isto é, tentar escolher o mais barato Português. Comparar os preços e tentar encontrar neles um Português mais competitivo possível... Mas é que é mesmo "Fabricado em Portugal" e mais nada! A não ser que precise mesmo do produto e não haja um Português alternativo!

As outras a seu tempo aparecerão.

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Subsídio de Natal - Contribuição Especial para o Ajustamento Orçamental

Este ano,no natal, tenho duas hipóteses:

Ou dou prendas a metade das pessoas, ou recebem as prendas à metade... Isto se ainda houver metade do dinheiro até lá!

Mas pensando bem, como ainda há outros cortes que me vão afectar (que agora não vêm para o caso), acho que vou começar a ler "tutoriais" da agricultura e começar já a minha colecção de bordas de água (em papel, não terei dinheiro para Internet) e dedicar-me à agricultura nas terras dos meus avós!

Ah e "guardá-las" bem... não vão os gatunos, roubar-mas! Sobreviverei! Investir agora, para mais tarde "colher fruto" (Agricultura -> Fruto)!

Este é o meu imposto extraordinário para a "Contribuição Especial para o Ajustamento Orçamental"!

"Tu" que ainda não trabalhas também não escapas... A culpa não é tua? Não interessa...

Como dizia no anuncio da gasolineira: "Foi alguém!"

terça-feira, 14 de junho de 2011

O problema dos descansos...

Quem não gosta de uns dias de descanso? Quem não gosta festas? Pois, eu não sou exceção! Uma pessoa vai-se interiorizando na rotina mas, vai pedindo para ela "parar", mas como é rotina, qualquer mudança é de estranhar! Só que como já disse anteriormente, sempre que há hipótese, gosto de viver o momento e aproveitar os momentos que tenho para festejar.

A última festa foi, após um fim-de-semana de 4 dias, de domingo para segunda com mais um S.António na bela cidade de Lisboa, que tanto tem para me ensinar! Só que tudo o que é bom acaba depressa!

E aí vem o problema dos descansos...

Quando volto à rotina do dia-a-dia (que confesso não "gosto" muito mas, é um mal necessário, tem de ser e quando se é responsável, temos de fazer esforços! - Uma pessoa habitua-se! - Aliás até podemos fazer com que esta rotina seja divertida no meio de toda a seriedade necessária), a sensação é terrível, principalmente quando as coisas correm bem... é um misto de saudade e estranheza (não sei explicar)! É por isso que costumo dizer em tom de brincadeira quando estou em dias de descanso: "Estes momentos fazem-me tão mal, mas sabem tão bem!"

Gosto e não gosto desta sensação: do voltar e deixar aquilo a que costumamos chamar de "boa vida". Mas se fosse sempre assim (talvez não lhe desse grande valor)! Não sei se por ter tido uma adolescência cheia destes bons momentos, estes me deixam saudades e voltar a vivê-los é ótimo.

Enfim... Pelo menos servem para aliviar a minha mente do stress, ou não!


Fonte da imagem: http://viajarmaisbarato.com/wp-content/uploads/2011/06/festa-santo-antonio-lisboa.jpg

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Frases Inspiradoras II

O post que agora aqui coloco, será muito pequeno e a sua interpretação estará dependente de cada um [Como sempre...]!Os Homens não se medem aos palmos! Nunca duvides das tuas capacidades!

Existe mais uma frase que me inspira("Nerdmente" vi-a num forum, não conhecendo o autor - mas, reforço a ideia de que a sua fonte não é minha)!

E a frase do post de hoje é "O frango cresce!"

Interpretem como quiserem, mas é a verdade pura e dura! Aprender é como remar contra a corrente, quem não avança recua!



Fonte da Imagem:http://3.bp.blogspot.com/_kv1uWWHayTQ/Rwks5WYqfcI/AAAAAAAAI5c/mq8iOmlXPEE/s400/galo1.jpg

quinta-feira, 26 de maio de 2011

PIPIPI parou parou parou!

Aquilo que poderia ser uma situação constrangedora - na altura - e em que temos de manter a calma, já que não somos culpados [Não é o fim do mundo...] até dá vontade de rir! Pelo menos a mim dá! Alguém já andou com alguma peça de roupa vestida ou objecto, sem saber qual é, comprados recentemente e que tenha saído da loja sem apitar mas, no dia em que decidem ir às compras com esta apitar em quase todas as lojas? (Sim, ontem não sei qual das peças me fez apitar - Era tudo recente...)!

A primeira vez acontece, e dizem: "Não se preocupe entre/saia!"! Tudo bem (poderia haver algum problema - pode acontecer)! A segunda vez, noutra loja entra-se e sai-se e nada apita... Entramos noutra em que nada acontece, respiramos de alivio e pensamos: "o problema não era meu"! Mas, quando vamos a sair: PIPIPI parou parou parou! Riste-te e mantens a calma, nada de se preocupar, afinal não és culpado! Pelas normas da casa vêm falar contigo e após uma conversa bem construída até te desejam boas compras. Até aqui tudo bem! Vais ao hipermercado e nada apita à entrada. Tens uma conversa com o Segurança a explicar as situações anteriores ao qual ele te responde para não te preocupares até passares na caixa e aquilo apitar por todo o lado. Toda a gente olha mas, como já tinha apitado a primeira reacção que tens é retirar tudo e dizer "eu não tenho nada"... e sorrir para a caixa! Após mais uma conversa repetitiva, lá vais embora descansado.

Para que não bastasse e não tivesses já farto de "pipipis" decides ir comprar uma revista, mas antes de entrares na loja em si, começas a falar com a lojista (tipo louco) a dizer: "Se isto apitar é normal!" ela primeiro não entende até que o alarme toca, ela sorri e tu respondes "Era isto a que me estava a referir, afinal não sou doido! Já estava à espera! Hoje apito por todo o lado!"

Nestas situações há que tirar o lado engraçado da história, e levar as situações como se de comédia se tratassem porque para tristezas já bastam as notícias do nosso país.

Era neste momento que gostaria de ver um político a passar pelos detectores. Aí tinha a certeza que o "PIPIPI parou parou parou!" se referia a um Culpado!

Por mais que não queiramos há dias em que somos obrigados a dar nas vistas!



Fonte da Imagem:http://lh5.ggpht.com/_gDDJnQa0hmw/S5qeS5krStI/AAAAAAAAAwI/AjWuTLGNT7Y/Alarme%20anti%20lesos%5B8%5D.jpg